Jovem escritora com hidrocefalia e paralisia utiliza crowdfunding para lançar biografia e apoiar projetos


Um exemplo de superação. Assim é Stephaanee Diniz, uma jovem cadeirante que acaba de se lançar no mundo da literatura com o objetivo de inspirar pessoas com a história da sua vida.

Aos 21 anos, nasceu com hidrocefalia e paralisia nos membros inferiores, foi desenganada por médicos, mas resistiu. Hoje Teté, como é conhecida, é estudante de Administração, pratica de esportes, e escreve seu primeiro livro, intitulado Viver, o Direito de Todos”. 

“Queria contar para o mundo que nada é impossível quando a gente realmente quer. Quando vejo pessoas saudáveis reclamando por uma dor de cabeça, deixando de fazer atividades por causa da chuva ou do sol, tenho muita vontade de contar minha trajetória”, explica a jovem, que foi até a TV falar em público. Veja sua entrevista na Record Rio.

Para lançar sua obra, Stephaanee recorreu ao Bookstart, uma plataforma de crowdfunding (financiamento coletivo) que capta recursos através de doações ao seu projeto.

E com o apoio de muitos populares e artistas, ela já conseguiu! Seu livro tem previsão de lançamento em agosto de 2016, com as devidas recompensas aos apoiadores.

Venda dos livros será destinada a cirurgias e medicamentos

Mas ela não quer para por aqui: sua meta é conseguir mais doações para ajudar outras pessoas como Flávia Costa, portadora de uma rara doença no sistema digestivo. Com apenas 27 anos e duas filhas pequenas, precisa de um transplante multivisceral para salvar a sua vida. Confira o vídeo aqui.

Stephaanee revela que o destino da verba obtida com as vendas dos exemplares tem destino certo. “Vou ajudar àqueles que não têm recursos para realizar cirurgias urgentes e não podem mais esperar, e também quem precisa comprar aparelhos ortopédicos e respiratórios, entre outras coisas relacionadas à saúde”, diz a jovem.

Empresas e pessoas físicas ainda podem apoiar o financiamento coletivo que está no ar até o dia 28 de maio de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.