Projeto mobiliza ações comunitárias no sertão mineiro


Inspirada na obra de Guimarães Rosa, a iniciativa integra O Caminho do Sertão e busca troca experiências e saberes com comunidades geraizeiras

Em 2014, foi realizada a primeira edição do projeto “O Caminho do Sertão - De Sagarana ao Grande Sertão Veredas”, reunindo 70 pessoas de todo o Brasil. Trata-se de uma travessia sócio-eco-literaria no universo de Guimarães Rosa e no sertão cerrado de Minas Gerais. Parte dos caminhantes que percorreram a travessia seguem no projeto, na produção colaborativa da nova edição, que acontece entre 4 e 12 de julho de 2015 e que receberá 50 novos caminhantes.

“Digo de fui, digo que gostei. À passeata forte, pronta comida, bons repousos, companheiragem. O teor da gente se distraía bem.” - João Guimarães Rosa

Instigados pela troca de saberes vivenciada e por um maior contato com o Brasil Profundo do sertão mineiro, educadores, artistas, estudantes, autônomos e pesquisadores que fizeram a travessia em 2014 criaram o Ecos do Caminho do Sertão. A iniciativa será realizada simultaneamente à caminhada, cuja ideia central e realizar um dia inteiro de atividades comunitárias nos povoados e vilas que integram a rota do projeto O Caminho do Sertão.

Com a premissa de que, além de livros, textos e palavras, se faz necessário o eterno recruzar, as ações do Ecos têm o intuito de apresentar às comunidades o que foi  é produzido a partir do encontro com o sertão mineiro. Busca ainda proporcionar momentos de troca e aprendizados mútuos através de oficinas, rodas de prosa, cineclubes, contação de histórias, troca de sementes e apresentações. O projeto será também um elo entre quem já caminhou, os novos caminhantes e as comunidades que lá habitam.

Colabore! Campanha de Financiamento

Para realizar o Ecos do Caminho do Sertão, o coletivo de caminhantes pede ajuda e criou uma campanha de financiamento colaborativo para suprir as despesas, através do Catarse. A campanha está aberta para doações até o dia 23 de junho. Quem colaborar, recebe recompensas como livros, sementes do Cerrado, fotografias e artesanatos produzidos pelos geraizeiros da região e pelos caminhantes. Uma forma de contribuir com os trabalhos de economia solidária local já realizados. Para entender mais e colaborar com a campanha, acesse: www.catarse.me/ecosdocaminho.

A travessia

O Caminho do Sertão promove um mergulho socioambiental e literário no universo de Guimarães Rosa e no cerrado sertanejo dos gerais, do norte ao noroeste mineiro. A travessia parte do vilarejo de Sagarana (Arinos - MG) até o Parque Nacional Grande Sertão Veredas, localizado na cidade de Chapada Gaúcha, perto da divisa com a Bahia e o Goiás. Quem participa do projeto percorre parte do caminho realizado por Riobaldo, personagem central do livro Grande Sertão: Veredas, rumo ao Liso do Sussuarão, conhecendo paisagens naturais, folias de reis, histórias, tradições e memórias.

Para saber mais, acesse:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.