Entrevista: Vanessa Preuss, autora de "A Garota de Greenwich"


Vanessa Preuss tem 22 anos, nasceu em São João do Oeste, mas mora desde os 5 anos em Tupandi, cidade pequena distante 87 km da capital Porto Alegre. Publicou "A Garota de Greenwich" pela Editora Buriti.
Saiba mais sobre a autora, que também está na antologia comemorativa dos cem títulos lançados pela Editora Buriti: 100º.
Vanessa, primeiramente, obrigado por participar da Revista Pacheco! Como começou esse negócio de Literatura em sua vida?
Sempre tive contato com a escrita e minhas primeiras histórias foram escritas em sala de aula, no silêncio do quarto à noite, nas horas vagas da adolescência. Aos 17 anos me tornei colunista em um jornal local e desde então tenho colaborado com três deles. Estudei jornalismo durante 3 anos, atuei como repórter, escrevo para o site online Donnatune e mantenho uma página na rede social do facebook semanalmente desde janeiro de 2014. Trabalho como secretária e auxiliar administrativa em uma empresa que atua no segmento de embalagens plásticas, e nas horas vagas, vendo e escrevo diariamente, por amor e hobby, o que me inspira a seguir a profissão de escritor.
O que te inspira a escrever? Quais os autores que te influenciam?

Também sou curiosa, ambiciosa, movida por gestos e palavras. Gosto de ler de tudo: perco horas e horas lendo Agatha Christie, Nicholas Sparks, Julia Quinn e tudo que é novos e receitado pela minha própria crítica.
Capa de "A Garota de Greenwich", 291 pág. Editora Buriti
Você já tinha publicado algum material antes?

A Garota de Greenwich é minha primeira obra publicada. Primeira de muitas.

Como surgiu a história de "A Garota de Greenwich"?

A história na verdade seria uma crônica feminina para meu blog, mas gostei tanto dela que fui acrescentando idéias e frases que cinco meses depois, virou um livro com pouco mais de 300 páginas.

E sobre o quê fala o seu romance?
O livro fala sobre Roberta Cartner, uma jovem de vinte anos que vê seu coração acelerar por Jacques Sulavan repentinamente. Filha de pai humilde e sem a mãe, sua vida está prestes a mudar quando ele aparece a primeira vez na empresa em que ela trabalha. Forte e imponente, Jacques tem tudo que a faz suspirar, e quando decide incorporá-la a seu mundo, Roberta se vê dividida. Com problemas no trabalho e medo do que esse envolvimento pode lhe causar, ela resolve fugir. Sua avó Sarah Cartner mora em Londres e é para lá que ela vai. O que Roberta não pode prever é o quanto essa decisão pode mudar sua vida. De volta ao Brasil ela deverá se confrontar com antigos fantasmas deixados no passado, e descobrir que sua felicidade pode ter estado mais perto do que ela poderia imaginar.

A Garota de Greenwich fala principalmente sobre a importância de acreditarmos em nossos sonhos e corrermos atrás deles, de uma forma bem- humorada e divertida.
 
Muito obrigado pela entrevista,Vanessa! Esperamos que "A Garota de Greenwich" seja um sucesso e que seja o primeiro de muitos! Para finalizar, diga-nos onde podemos encontrar o seu livro e como podemos ter novidades sobre os seus trabalhos e o livro!
 
Está disponível no site da Editora Buriti, ou ainda comigo nas redes sociais Vanessa Preuss. Os leitores podem conferir novidades na minha página de autora Vanessa Preuss, no blog http://vanipreuss.blogspot.com.br/, e no Wattpad, para ver trechos do meu livro Wattpad: A Garota de Greenwich.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.