Agenda Cultural: o cinema conta Truffaut


Em Julho, o MIS nos apresenta François Truffaut por meio do cinema.


A partir do dia 14.07, a exposição "Truffaut: um cineasta apaixonado" chega ao Brasil, em primeira mão, depois de sua exibição na Cinemateca Francesa, onde ficou em cartaz de 8 de outubro de 2014 a 1º de fevereiro deste ano, e recebeu cerca de 80 mil visitantes. 

O evento faz homenagem aos 30 anos da morte do cineasta, sob curadoria de Serge Toubiana, com um acervo de mais de 600 itens, como desenhos, fotos, objetos, livros, revistas e roteiros com anotações, além de trechos de filmes e entrevistas do diretor. 

Segundo a ficha de apresentação do MIS, o material inédito guardado e doado 'pela família de Truffaut, é incrivelmente rico e reflete a obsessão que ele tinha em guardar tudo: ensaios dos atores, um croqui de figurino, fotos de cena e acessórios do filme O último metrô/Le Dernier métro (1980); correspondências, notas manuscritas, cadernos, que projetam não só o universo ficcional de François Truffaut, mas também seu gosto pela literatura'. Como sabemos, entre seus filmes estão 'adaptações literárias, como Jules e Jim e As duas ingleses e o amor/Les Deux Anglaises et le Continent, de Henri-Pierre Roché, e Fahrenheit 451 de Ray Bradbury'.
 
A exposição - que conta com o patrocínio do Itaú e apoio do Consulado da França e cenografia de autoria do Atelier Marko Brajovictraz - traz como em todas as exposições do MIS,  uma expografia especial, com experiências sensoriais em algumas salas.  

LOTE ESPECIAL
A partir de terça-feira, 30 de junho, às 12h, o MIS vai disponibilizar ingressos ANTECIPADOS por dia para acesso à exposição, o público poderá adquirir seu ingresso antecipado. Os bilhetes estarão disponíveis para visitação entre os dias 15 de julho e 2 de agosto.

S e r v i ç o:

TRUFFAUT: UM CINEASTA APAIXONADO
14.07 a 18.10.2015
MIS - Museu da Imagem e do Som - Av. Europa, 158 - SP
Local Espaço Redondo, Espaço Expositivo 1º andar, Espaço Expositivo 2º andar
3a. a sáb. das 12h/ 20h; dom. e feriados, das 11h/ 19h
Classificação etária livre
Ingressos ANTECIPADOS Valor: R$16,00 e R$8,00 [meia entrada] Venda antecipada exclusiva pelo site www.ingressorapido.com.br - às 3as. a entrada é gratuita


Andréa Nogueira
andreafaladearte@gmail.com
Andréa Nogueira, natural de SP, é jornalista, graduada pela Escola de Comunicações e Artes da USP (79). Atuou na área de propaganda e pesquisa de comunicação e consumo, até 2002. É assessora de comunicação e eventos nas áreas de educação e saúde. Especializada em jornalismo cultural colabora com sites especializados e redes sociais publicando artigos e resenhas sobre artes, literatura e cinema em especial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.