"Vaga-Lumes - Onde nascem as Lendas", de Anderson Caum


Quem poderia imaginar!

Um tronco já apodrecido, contendo uma inscrição, feita provavelmente com uma navalha, poderia mudar o destino de alguém. A inscrição dizia: Aqui nasceu o amor. O texto escrito leva cinco crianças a desenvolverem contos. Estes imaginavam em quais circunstâncias e como aquela escrita have-ria sido feita ali. Em uma clínica de repouso muitos anos após o ocorrido, uma senhora encantadora que participara desse grande dia, carrega as mentes de jovens universitários desejosos em realizar um documentário sobre como vivem e terminam estes senhores solitários em uma clínica de repouso, a viajarem com suas mentes há um passado onde havia de amigos piratas a uma realidade triste. Mas onde havia tanta vida que já não se sabe mais onde os contos param e sua biografia termina, entre as historietas de piratas e saci, príncipes e princesas, Deus agora humano e índios, escravos e fazendas, sertão e fuxiqueiras, Catarina conta sua biografia onde começara a ser construída naquele inesquecível dia onde um incêndio matara toda sua família. Seis contos que de tão parecidos a sua biografia, misturam-se as histórias onde uma criança imaginosa agora cresce, passando por prostituição, casamentos frustrados, fazenda, mudanças, sertão onde se torna uma santa e prisão, terminando seus dias naquela clínica. Tudo isso afora os vaga-lumes.

Vaga-Lumes - Onde nascem as Lendas é um lançamento da Editora Buriti

Sobre o autor

Anderson Caum é nascido na cidade de Vinhedo, interior de São Paulo. Atualmente, reside em Jundiaí-SP, onde trabalhou nos últimos anos na área de comunicação, como o Grupo de Comunicação Bom Dia – Diário de São Paulo, e ainda no RAC/Correio Popular, ambos como designer gráfico e diagramador. Sua afinidade por livros começou pela curiosidade sobre temas relacionados ao sobrenatural, já que considera um assunto muito presente em nosso cotidiano, na vida em sociedade. Publicou seu primeiro livro,  Chuva para lavar a alma pela Editora Novo Século, selo Novos Talentos da Literatura Brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.