Autores & Livros: "As 7 cores que amei", de Occello Oliver


O Jornalista carioca Occello Oliver estréia como cronista e apresenta seu novo livro “As 7 cores que amei”. Neste novo trabalho, Occello narra sua trajetória de vida, em uma rica viagem ao passado, tendo o universo homossexual como centro das histórias. São 47 crônicas que misturam todos os sentimentos de vida, em situações de alegria, tristeza, desejos, decepções, euforia e amadurecimento, em histórias verdadeiras, sensíveis e audaciosas. 

Em cada capítulo Occello Oliver foca a homossexualidade, representada pelo título da obra que simboliza o arco-íris da comunidade GLBTT. Occello refaz seu caminho de vida através de relacionamentos amorosos, romances, família, vida profissional, amizades, baladas, lugares e situações do cotidiano que marcaram sua vida. A nostalgia é o principal sentimento narrado neste trabalho. Lançado em julho de 2014 e com ordem aleatória de histórias, o primeiro capítulo traz Occello Oliver aos 18 anos, em busca do alguém perfeito que povoa nossas mentes, quando desejamos o grande amor de nossas vidas. Em cada crônica, uma surpresa. Aventuras e situações que, só quem as viveu sabe exatamente o que representam para si. Trata-se de um universo totalmente particular. Um universo sólido composto de estrelas e nuvens carregadas de temporais que acompanharam a vida de Occello de 1990 a 2013. 

Com sua primeira tiragem esgotada, o livro soma 23 anos resgatados de um baú sagrado. A capa do livro estampa o autor olhando para o horizonte em uma paisagem bucólica, que faz com que viajemos ao passado em busca de pistas que nos levaram onde estamos.

Aos 42 anos, Occello é autor do livro “Fora do armário” (2012) e co-autor do livro de contos eróticos “Censurado – sexo, taras e fetiches” , lançado em 2013 pelo selo Lado B Edições.  Tem ampla passagem pelo Jornalismo e também é Relações Públicas. Atualmente é editor do selo Cultura em Letras Edições e diretor da produtora de comunicação Oliver 4 Assessoria e Produções.

Occello Oliver

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.