II Fli Serrana movimenta Teresópolis no próximo sábado

Festa celebra a literatura com homenagem a Flavia Savary
Um dia dedicado à literatura. No sábado da próxima semana, dia 29 de novembro, será realizada em Teresópolis, na Casa de Cultura Adolpho Bloch, a II Festa Literária da Região Serrana – II Fli Serrana. Com curadoria da escritora Andrea Taubman e apoio da Prefeitura, através da Secretaria de Cultura, o evento contará com um dia inteiro de atividades gratuitas, das 9h às 19h30, tendo como homenageada a escritora Flávia Savary, seus 40 anos de literatura e seus dragões.

“Será uma grande celebração da literatura, um evento diversificado, com opções de atividades para crianças, adultos e educadores, oferecendo ao público momentos inesquecíveis dentro deste universo mágico. Desde já estão todos convidados a participar conosco desta jornada”, comenta o secretário de Cultura, Arnaldo Almeida.

Destinada ao público infantil e juvenil, a programação é extensa e abrange uma série de atividades, incluindo apresentações musicais, oficinas, encontro com autores, atividades circenses, sarau, leitura dramatizada, entre outras. Aberto ao público, o evento contará ainda com a participação de escolas teresopolitanas.

Com relação às oficinas e encontros com autores, a II Fli estará recheada de nomes consagrados da literatura, como Cristina Villaça, Alexandre Gomes e Glaucia Lewicki, entre outros. Destaque também para o Sarau Poesia, com leitores da Estação das Letras e do Paiol de Histórias do Sítio Boa Liga.

O ponto alto do evento será a presença da homenageada deste ano, Flávia Savary. Pela manhã, a escritora participará do encontro com autores de Dragões, às 11h. À tarde, ela será lembrada em outro encontro: “Como desenhar o seu dragão e ilustrar o livro da Flávia Savary”, às 16h. E às 17h, será realizado o momento maior de homenagem à escritora, com a participação de Flávio Carneiro, Cristina Villaça, Ana Maria de Andrade, Lucia Marcatti e Rosa Amanda Strausz.

Com produção de Marcelo Augusto Torres Pellegrino e assessoria de Regina Carmela, o evento terá ainda cantinhos da leitura e do desenho e três exposições. Estarão expostos os quadros do livro Diário Inventado, de Carolina Monteiro; as ilustrações do livro 25 sinos de acordar Natal, de Flávia Savary; e os paineis da Expo Cores e Formas, comemorando os 15 anos da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ).

Confira abaixo a programação completa:

09h – 09h30:

Abertura

09h30 – 10h:

Apresentações musicais Secretaria Municipal de Cultura e músicos do Centro de Ensino Serrano

Apresentação do poema Dragons (CIA José Francisco Lippi)

10h – 11h:

Oficina de mediação de leitura com José Luiz Prado - "Contar histórias é um ato mágico: a simples narrativa e seus encantos"

Contação de histórias da Flávia Savary com Cristina Villaça

Oficina de marcador de página com Eline Dantas

11h – 12h:

Encontro com autores/autógrafos: Dragões! - Alexandre de Castro Gomes, Glaucia Lewicki, Flávia Savary e performance de Cris Alhadeff - Mediação: Antonella Catinari

13h30 – 14h:

Circo

14h – 15h:

Sarau Poesia no Parque na II FLI Serrana: Leitores da Estação das Letras e do Paiol de Histórias do Sítio Boa Liga (Casa Lygia Bojunga de Pedro do Rio / Petrópolis) – roteiro de Miriam Ribeiro, Ninfa Parreiras e Rachel Facó, com a colaboração especial de Laura Sandroni

Oficina de artes com Eline Dantas

Projeto Autores Mirins – Nina Krivochein e Mariene Lino

15h – 15h20:

Centro de Ensino Serrano – apresentação teatral

15h20 -16h:

Leitura dramatizada e musicalizada: A ROSA QUE GIRA A RODA – Grupo Teatral Povo do Cafundó

16h – 17h:
Encontro com autores / performances / autógrafos: “Como desenhar o seu dragão e ilustrar livro da Flávia Savary” - Thaís Linhares e Maurício Veneza - mediação: Miriam Ribeiro

17h – 18h:

Homenagem a Flávia Savary - Flávio Carneiro, Cristina Villaça, Ana Maria de Andrade, Lucia Marcatti e Rosa Amanda Strausz

18h – 18h30:

Apresentação Instituto Saber

Lançamento do livro ‘A roupa nova do arco-da-velha’ (ilustrações de Jaguar)

18h30 – 19h30:

Show de Jujuba e Ana Nogueira

Texto: Geórgia Jahara

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.