Escritor friburguense comporá Comissão Julgadora Escolar da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro




A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) e da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária, que desenvolve ações de formação de professores com o objetivo de contribuir para a melhoria do ensino da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras. 

A Olimpíada tem caráter bienal e, em anos pares, realiza um concurso de produção de textos que premia as melhores produções de alunos de escolas públicas de todo o país; em anos ímpares, desenvolve ações de formação presencial e a distância, além da realização de estudos e pesquisas, elaboração e produção de recursos e materiais educativos.

As escolas participantes devem compor uma comissão julgadora para selecionar um texto, trabalhado no tema  “O lugar onde vivo”, que precisa ser enviado digitalizado ao concurso e a Comissão Julgadora Municipal até o dia 15 de agosto. Os inscritos da rede municipal concorrerão na categoria Poema.

Vinte textos serão selecionados na etapa nacional, que ocorrerá em dezembro, bem como os professores inscritos, alunos e suas escolas serão premiados. O professor e o aluno receberão uma medalha, um notebook e uma impressora. E a escola premiada receberá dez computadores, uma impressora, um projetor multimídia, um telão para projeção e livros.

A origem
O programa foi criado em 2002 com o objetivo de contribuir para a melhoria da escrita de estudantes de escolas públicas brasileiras. Voltado inicialmente para alunos de 4ª e 5ª séries do Ensino Fundamental, o tema “O lugar onde vivo” era trabalhado em três gêneros textuais: Reportagem, texto de Opinião e Poesia.

O programa continuou sendo realizado em duas vertentes: o concurso, nos anos pares, e as ações de formação presenciais e a distância, nos anos ímpares. Em 2004, o gênero Reportagem foi substituído por Memórias Literárias e, em 2005, foram criadas a Revista Na Ponta do Lápis, distribuída a todos os professores participantes, e a Comunidade Virtual Escrevendo o Futuro.

Em sua 4ª edição, espera-se contar com a participação de milhares de professores e alunos de escolas públicas em todo o país.

Escritor friburguense comporá Comissão Julgadora Escolar

Como parte das ações da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro, o escritor George dos Santos Pacheco comporá a Comissão Julgadora Escolar da Escola do Vale de Luz, fundamentada na Pedagogia Waldorf. A instituição é uma iniciativa de caráter comunitário e público, em turno integral, que promove o autodesenvolvimento de adultos, a partir da co-autoria da gestão escolar e da tarefa de educar, oferecendo a crianças e jovens a possibilidade do desenvolvimento do pensar, do sentir e do querer, para que estes possam tornar-se adultos com capacidades para atuar socialmente de forma justa, autônoma e fraterna.



"A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é uma excelente iniciativa do poder público e privado,  com resultados significativos no fomento à produção literária, na formação de professores e no resgate da cultura local, ao tratar o tema "O lugar onde vivo". É um orgulho fazer parte desse projeto", afirma Pacheco.

 

A Pedagogia Waldorf é um dos desenvolvimentos das teorias de Rudolf Steiner, além da medicina antropofísica e a agricultura biodinâmica. Para atingir a formação do ser humano, a pedagogia atua no desenvolvimento físico, anímico e espiritual do aluno, incentivando o querer (agir) por meio da atividade corpórea das crianças em quase todas as aulas. O sentir é estimulado na constante abordagem artística e nas atividades artesanais específicas para cada idade.

Hoje a Escola atende a cerca de 130 crianças, de 3 a 11 anos, em turno integral, das 7h30 às 16h30, funcionando em um belo casarão no bairro de Conselheiro Paulino, em Nova Friburgo. A Escola conta com duas classes de Educação Infantil (1º ao 3º período) e cinco classes de Ensino Fundamental (do 1° ao 5° ano).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.