Sesc Friburgo recebe peça Silêncios Claros

Contos de Clarice Lispector ganham vida em monólogo estrelado por Ester Jablonski
O Sesc Nova Friburgo recebe, no dia 27 de setembro, às 19h30, a atriz Ester Jablonski, que dará vida a quatro contos de Clarice Lispector no espetáculo Silêncios Claros. Após a apresentação da montagem dirigida por Fernando Philbert o público participará de um bate papo com a Profª Clarisse Fukelman, especialista na obra da autora e que contará um pouco mais sobre os trabalhos da escritora ucraniana de nascimento, mas pernambucana de coração.

Uma mulher, quatro vidas, quatro histórias. No palco, Ester Jablonski tem um encontro com quatro contos de Clarice Lispector. Nesse monólogo, Ester vivencia as estações da vida em quatro tempos e busca traduzir cenicamente as sutilezas da feminilidade da autora. Nelas estão anseios, desejos inconfessos, contradições, alegrias e tristezas. Todos os sentimentos embutidos em histórias contadas em diferentes fases da vida da poetisa. Quatro diferentes etapas da vida de uma mulher  que vivencia a memória, as lembranças da família e todo o passado que a construiu.

Tirados da antologia “O primeiro Beijo e Outros Contos”, “O Grande Passeio”, “Uma Tarde Plena”, “A Fuga e Uma Galinha”, são pontuados pela sensibilidade e intimidade com que a autora penetra e passeia pela vida humana, suas contradições e suas vicissitudes. As histórias são contadas pela atriz, que dá vida à Clarice: “Sem muito ruído, espalhafatos ou trucagens cênicas tentamos promover o encontro entre duas fantasias - a da escritora, através da atriz, com a do público.”, sintetiza Ester.

A Atriz - A atriz Ester Jablonski já foi dirigida por grandes nomes das artes cênicas, como José Wilker, Moacyr Góes, ítalo Rossi e Gilberto Gawronsky. Em 28 anos de carreira, atuou ao lado de atores como Sergio Britto, Nathalia Thimberg, Cássia Kiss, Lilia Cabral, Pedro Paulo Rangel, Miguel Falabella, Zezé Polessa, Joana Fomm, Ari Fontoura, Paulo Goulart, entre outros. Além dos palcos, Ester também é jornalista, e apresenta o programa “Pequenas Empresas, Grandes Negócios”, desde 1990.

O Diretor - Fernando Philbert é assistente de grandes diretores como Aderbal Freire Filho, Gilberto Gawronski e Domingos Oliveira. Com Aderbal desenvolveu a experiência de sucesso de levar obras literárias para o palco. Com Gilberto participou de sucessos como Por Uma Vida Menos Ordinária, espetáculo indicado ao prêmio Shell de Melhor Direção, com Du Moscovis, e Medida por Medida, com Ricardo Blat. Fernando dirigiu e co-dirigiu peças da Cia Aplauso de teatro, além dos espetáculos “C'est La Vie”, “Em Nome do Jogo” e “Cartas de Drummond para Maria Julieta”, com Sura Berditchevsky.

A professora - Clarisse Fukelman é Profa. De Teoria da Imgem na PUC-Rio. Doutora em Literatura Brasileira, consultora de arte em projetos de Teatro e  TV como novelas e minisséries, além de curadora de exposições e pesquisadora. É especialista na obra de Clarice Lispector.

SERVIÇO
Data: 27 de setembro
Horário: 19h30
Local: Av. Presidente Costa e Silva, 231
Telefone: (22) 2543-5000
Capacidade: 157 lugares
Duração do Espetáculo: 50 min
Classificação Etária: 14 anos. 

FICHA TÉCNICA
Textos: Clarice Lispector
Direção: Fernando Philbert
Elenco: Ester  Jablonski
Iluminação: Vilmar Olos
Musica Original: Marcelo Alonso Neves
Operador de Som e Luz: Felipe Antello
Figurino: Kiara Bianca
Cenário: Jorge Roriz
Fotos: Guga Melgar
Programação Gráfica: Cláucio Salles
Direção de Produção: Daniela Paita 
Produção: Jablonsky Produções 
Assessoria de Imprensa: lu nabuco assessoria em comunicação
 
Pacheco também é cultura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.