A Rodoviária Urbana será extinta? E para onde vão os ambulantes?


Medida visa melhorar o trânsito caótico de Nova Friburgo

A Estação Urbana Rural César Guinle foi inaugurada no segundo governo do prefeito Heródoto Bento de Mello, em 1988, chamada simplesmente de rodoviária de integração, por muitos. Atualmente, tem sido severamente criticada por seus usuários, visto que seu espaço não dá mais vazão aos cerca de 60 mil passageiros que por ali passam diariamente, das 6h às 23h, e às 89 linhas de ônibus, que nos horários de pico ocupam parte da Praça Getúlio Vargas e da Rua Sete de Setembro. Muitos, devido ao atraso do horário, chegam a não cumprir o itinerário correto, fazendo conversões em ruas a fim de adiantar o percurso.

Como o problema do trânsito de Nova Friburgo parece não ter fim, o prefeito Rogério Cabral anunciou em entrevista ao InterTV Serramar que uma equipe da Secretaria Estadual de Transportes estaria na cidade realizando um estudo para que sejam tomadas medidas efetivas a fim de melhorar o tráfego de veículos pela cidade, entre eles, mudanças nos pontos de ônibus e inclusive, o possível fechamento da rodoviária; a integração seria, dessa forma, realizada fora dela, utilizando-se os já conhecidos cartões Fricard.


Mas se a rodoviária vai fechar, para onde vão os ambulantes que circulam dentro dela? São mais de dez pessoas que comercializam produtos pela estação, sem contar os ambulantes “flutuantes”, que aparecem de vez em quando. Assim, podemos crer que solucionando alguns problemas, corre-se o risco de criar outros. Será que a equipe que estuda o caso já percebeu estes pontos?


No mais, cabe aos friburguenses aguardar as tais medidas e torcer para que elas melhorem a vida na cidade.

George dos Santos Pacheco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.