Vocês conhecem Bud Spencer e Terence Hill? Deviam conhecer...


 

Para quem é fã de cinema ou viveu o final dos anos 70 e anos 80, Bud Spencer e Terence Hill são referência nos filmes da época de ouro da Sessão da Tarde (programa de filmes da TV Globo) junto com outros grandes, como Jerry Lewis, Chevy Chase e Goldie Hawn.
Essa turma toda, e principalmente Spencer e Hill, podem ser considerados pais de um gênero específico de filmes que começaram a rodar no Brasil nos idos da década de 1980. O cinema deve muito a eles. O que seria dos filmes de pancadaria mesclado com comédia, de Jackie Chan, sem a mãozinha do grandalhão, barbudo e mal encarado e o do mocinho desenrolado? O que seria do humor de Jim Carrey sem o mestre Jerry Lewis? (notaram que seu estilo é o mesmo de Lewis?)

Nessa época, nossos heróis não tinham a ajuda da tecnologia para se livrarem das encrencas, mas contavam com muita astúcia e sorte. Seus filmes muito bem humorados, divertiram gerações de crianças, adolescentes e adultos, em uma época em que as crises econômicas nacionais empurraram as donas de casa para o mercado de trabalho, tornando a TV uma espécie de babá eletrônica.
Bud Spencer é o nome artístico de Carlo Vicente Pedersoli, nascido em Nápoles, e que, além de ator, foi também um atleta de natação,tendo competido, inclusive, pela Itália nas Olimpíadas de 1952, 1956 e 1960. O nome Bud Spencer é uma homenagem a sua cerveja favorita, Budweiser (o cara tem bom gosto), e ao ator Spencer Tracy. Graduado em Direto, fala seis idiomas (inclusive o português), no Brasil a maioria de seus filmes foi dublado por Silvio Navas. Atualmente Bud está aposentado.


Terence Hill é o nome artístico de Mario Giuseppe Girotti, nascido em Veneza. Estreou filmes de ação e faroeste junto com seu parceiro Bud Spencer. Terence está na ativa e atuou ainda em Doc West (2009) e Triggerman (2010)




Ao todo, foi uma parceria de 18 filmes, sendo os mais famosos os da saga Trinity, no qual eles faziam irmãos. O último foi o filme Os Encrenqueiros de 1994, também um western, dirigido por Hill.

Em “Par ou Ímpar”, um dos melhores filmes da dupla, eles fazem dois irmãos que precisam de dinheiro pra ajudar o pai que está perdendo a visão.
Infelizmente, para assistir os filmes dessa grandiosa dupla de atores, somente em dvd, pois nem mesmo a TV por assinatura os exibe em sua programação. É triste porque parece que querem esquecer que os dois são um importante marco na história do cinema mundial que, sem eles, não seria o mesmo. Mas aqui fica uma singela homenagem de um fã, que curtiu uma infância saudosa em que Bud Spencer e Terence Hill eram um de seus heróis favoritos.


Pacheco também é cultura!

Um comentário:

  1. quem tem o maior acervo de filmes{dublados} de terence hill e bud spencer aqui no brasil?

    ResponderExcluir

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.