O que fazer se eu ficar sem os freios? Dr. Pacheco responde!


Automóveis são máquinas grandes e perigosas. Nós muitas vezes nos sentimos seguros e protegidos enquanto que no interior dos nossos carros, mas os nossos carros podem falhar. Se você é confrontado com uma situação em que precisa parar um carro sem freios, siga estas etapas e você deve ser capaz de parar com segurança.

Quando você pisa no pedal de freio de qualquer carro de hoje, você pressiona um pistão. Esse pistão empurra o fluido de freio no cilindro-mestre, pressurizando-o. O fluido segue por tubos finos, chamados tubulações de freio, até chegar aos pistões em cada roda. Esses pistões aplicam pressão sobre as pastilhas ou fazem as lonas de freio se expandir, comprimindo um disco ou um tambor, respectivamente, para parar o carro. Se você tivesse uma perda séria de fluido de freio ou se alguém cortasse as tubulações, nada aconteceria quando você pisasse no pedal.

Jamais desligue o motor, pois, se o fizer, você não poderá usá-lo como freio; apenas mude para uma marcha mais lenta. Além disso, o carro demorará muito tempo para parar depois de estar em alta velocidade e o freio não funcionará corretamente como motor desligado. Com a alavanca de câmbio, reduza para a terceira enquanto o freio de mão diminui a velocidade do carro, e continue reduzindo a marcha o quanto puder. Se você tentar mudar de marcha muito rapidamente, perderá o controle do carro. 


Antes de mais nada, você deve saber se seus freios são ABS (sistema de frenagem anti-bloqueio), ou normais. Muitos carros estão agora disponíveis com ABS. Verifique o seu manual ou peça ao seu mecânico para verificar se você tem freios ABS ou não. O ABS reage de maneira diferente; para testá-los, você deve pisar com força sobre os freios e segurá-los. Para freios normais, é melhor bombear os freios para não bloquear. Você não pode testar seus freios corretamente até que você saiba qual tipo você tem. 

Certifique-se que os freios não estão funcionando. Toque de leve no freio para ver se eles respondem. Se não houver resposta, pressione o freio o máximo que você puder. Você deve sentir a pressão sob seus pés. Se não, é uma aposta segura de que os freios já acabaram. 

Tire o seu pé do acelerador. Se você quer parar, você vai ter que diminuir primeiro. Pare de dar ao carro o gás que ele precisa para acelerar e correr. Foque onde você quer ir. Seu corpo tende a reagir ao que você está olhando. Se você balançar a cabeça de pânico, você tenderá a mudar de direção. É fácil perder o controle ao tentar parar, e se desviar ao mesmo tempo, portanto, concentrando-se no local onde você pretende ir, você vai ter maior probabilidade de manter o controle.

Saia da estrada. Se possível, vá para o acostamento da estrada ou para a grama. A alteração de superfície deve ajudar a diminuir a velocidade do seu veículo.

Experimente o freio de emergência. O freio de emergência pode te salvar se o seu carro está fora de controle e você não tem outra opção para pará-lo. Puxe o freio de mão. O veículo pode sacudir ou tremer, mas não irá parar automaticamente, ao puxar o freio de emergência. Porém, você deve começar a desacelerar e, depois, eventualmente parar.

Uma falha dos freios é a principal hipótese para o acidente com ônibus da viação 1001 na estrada Rio-Teresópolis (BR-116), por volta de 14h30 desta segunda-feira (22)
Como último recurso, procure algo para bater. Se precisar parar rapidamente, para evitar bater em outro veículo ou um pedestre, considere buscar outro alvo. Tenha certeza de que você está seguro em seu veículo com um cinto de segurança, em seguida, olhe para a alternativa menos perigosa. Às vezes isso significa ir em direção a uma mureta ou canteiro. Outras vezes você pode ir em direção a uma árvore ou um veículo estacionado. Bater o carro para fazê-lo parar é apenas um último recurso, uma vez que pode causar ferimentos. Se você não tem outra escolha, tente escolher um objeto que está o mais longe de outras pessoas possível.
 
Fonte:


Pacheco também é cultura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.