Avenida Brasil: Quem matou Max?

A novela Avenida Brasil acaba hoje. Ainda bem, porque eu já não aguentava mais aquele “oi-oi-oi” do Latino. Quem frequenta o Revista Pacheco já sabe que eu não sou muito fã da trama, eu já disse aqui sobre a abertura – acho que não tem nada a ver – aliás, as aberturas da Globo estão me desapontando, em uma coisa ou outra: em Lado a Lado, o samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense não caiu bem . Talvez se tivesse acontecido uma releitura da música, de repente, ficaria bacana, mas o tema destoa das imagens. Não gostei. Em Gabriela, usar a música da versão anterior foi uma tremenda falta de criatividade. Se era para homenagear, podiam ter chamado a Sônia Braga. Repito: Se tivesse acontecido uma releitura da música, na voz de Vanessa da Mata (minha indicação), teria ficado um bocado melhor.

E Avenida Brasil foi um fenômeno de audiência mais pela atuação dos atores do que pela trama propriamente dita. O personagem eternamente bocó de Murilo Benício ficará na história, assim como a vingança de Nina – que ficou a novela inteira para desmascarar Carminha, o que Max fez em alguns capítulos. Além do mais, tem aquela história das fotos – um pen drive fez falta, as três mulheres de Cadinho – essa parte ficou cansativa – de modo que acho que a novela poderia ser encurtada pelo menos uns cem capítulos. Mas aí o autor falou que se inspirou em Agatha Christie! Aí mexeu comigo, eu já li muito seus livros, então, vou tentar descobrir o assassino de Max – cuja morte em nada vai afetar a história principal.

Bem, vamos lá:

Se ele disse que se inspirou na Agatha, será um personagem improvável. Carminha não pode ser, pois ela já tinha tentado matá-lo, e não conseguiu. Colocar ela como assassina não caíria bem. Nina também não foi, estava desacordada pois levou uma pancada na cabeça e seria muito óbvio (se estava com ele, o matou). Lucinda, muito menos. Ela está assumindo a culpa para proteger alguém que ela considera importante. Agora vem a dúvida: Alguém que ela considera importante e que matou o Max para defender a Nina. Jorginho? Genésio? Este último morreu no início da novela, mas pode ressuscitar. Apesar de quê eu nunca vi um ator que trabalha em uma novela (Guerra dos Sexos) aparecer em outra. E porque ele daria uma pancada em Nina para depois acertar o Max? E isso vale para Jorginho também. Mas o autor pode explicar tudo isso com uma vírgula.

Lúcio é o assassino de Max

Então, todo mundo que teve algum tipo de envolvimento com Max pode ser o assassino. Inclusive, em um de seus livros – que não vou revelar o nome para não estragar a expectativa dos leitores – Agatha Christie fez seu detetive descobrir que o assassino era mais de uma pessoa. Todos que tinham interesse na morte participaram. Como eu acho pouco provável que o autor tenha feito isso, eu aposto em Lúcio. Lúcio era amante de Carminha, rival de Max. Apaixonado pela mulher, ele se vinga de Max e deixa Nina desacordada para assumir a culpa. Lucinda, a fim de defender Nina, assume a culpa.

Viram? Não foi simples?

Agora, vejam um recadinho da Nina:


 Pacheco também é cultura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.