Nova Friburgo: uma cidade à caminho do céu com muito lixo no caminho



Muito se fala atualmente sobre desenvolvimento sustentável e descarte seletivo do lixo. Inclusive, este ano o Brasil será palco de um dos maiores eventos  sobre meio ambiente, a Rio +20, da mesma forma como ocorreu a Eco 92.
Nesse ínterim, “a Agenda 21 foi um dos principais resultados da conferência Eco-92 ou Rio-92, ocorrida no Rio de Janeiro, Brasil, em 1992. É um documento que estabeleceu a importância de cada país a se comprometer a refletir, global e localmente, sobre a forma pela qual governos, empresas, organizações não-governamentais e todos os setores da sociedade poderiam cooperar no estudo de soluções para os problemas socioambientais” (Wikipédia), e Nova Friburgo tem enviado representantes para diversos eventos desse porte.
Rua Eugênio Muller, nas proximidades do SENAI, Rua Ariosto Bento de Mello e Nossa Senhora de Fátima
Praça Marcílio Dias, proximidades da Drogaria Sucesso
O secretário de Meio Ambiente de Nova Friburgo, Eduardo de Vries, tem buscado parcerias junto com a Agenda21, e setores interessados no crescimento sustentável do município, mas basta um rápido olhar em nossa cidade para observarmos que estamos longe de nos tornamos uma cidade digna de toda a natureza que a circunda.
Durante em torno de três semanas, percorri o centro da cidade procurando os flagrantes do desrespeito ao descarte de lixo, e não, dessa vez a culpa não é da população. Não há em Nova Friburgo uma política eficaz de descarte de lixo. O material inservível é deixado em torno de postes e árvores, ou nas esquinas das ruas, aguardando a retirada pela equipe da EBMA, sem qualquer proteção.
Esquina da Rua Leuenroth com Av. Alberto Braune
Durante o desastre climático de 2011, ficou evidente o entupimento da galeria pluvial da cidade. Todo esse lixo que fica largado, atraindo animais, e causando um aspecto horrível a uma cidade que se pretende turística, vai para o leito dos rios e para os bueiros com uma chuva súbita, fato ocorrido naquele fatídico dia de janeiro de 2011.
Esquina da Rua Leuenroth com Av. Alberto Braune
Rua Moisés Amélio
Este post é uma denúncia contra todo esse descaso com a população. O problema não é só o que afeta ao turismo da cidade, mas o que afeta diretamente ao povo friburguense. Cabe ressaltar que a coleta de lixo foi elogiada em uma pesquisa em 2009, mas duvido muito que essa pesquisa refletia com a exatidão a situação da cidade, pois os lugares fotografados nunca tiveram área adequada para acondicionamento de lixo.
Os funcionários das lojas e restaurantes colocam caixas, restos de comida, e grandes sacos de lixo de 100 litros que ocupam quase que a totalidade da calçada em sua largura; funcionários de prédios residências no centro da cidade descartam igualmente o lixo dos prédios com a maior naturalidade, entretanto, convenhamos, ninguém gosta de conviver em um ambiente assim. E se eu fosse turista, eu voltava para casa diante de cenas como essas.
Rua Leuenroth
Rua Eugênio Muller
As fotos foram tiradas durante a madrugada, algumas em torno das 20 horas, e outras em plena manhã e tarde. Infelizmente, elas não conseguem cobrir todo esse problema, porque, evidentemente, foram produzidas apenas no centro da cidade, muito embora as reclamações ganham vulto nos bairros, tendo sido alvo, inclusive, de reportagens na InterTV Serramar. Assim, faz-se necessário, urgentemente, a criação de lixeiras adequadas para o descarte do lixo. As lixeiras pequenas, nos postes, não atendem a esse tipo de descarte maior.
Se queremos de fato uma Nova Friburgo, devemos além de melhorar nossas atitudes com relação ao descarte de lixo, cobrar dos representantes local adequado para isso, para que não haja, no futuro, outro 12 de janeiro.

Esquina da Rua Eugênio Muller com Rua Augusto Cardoso, nas proximidades do Restaurante Excalibur
Rua Eugênio Muller, rua com muitos prédios residenciais
Rua Eugêncio Muller
Única lixeira observado no trecho da Rua Eugênio Muller, completamente cheia às 15 horas.
Rua Eugênio Muller, proximidades do Campo do Friburgo
Rua Eugênio Muller, proximidades do Campo do Friburgo
Rua Eugênio Muller, proximidades do Campo do Friburgo
  
Pacheco também é indignação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.