Centro de Atendimento à Educação Especial de Nova Friburgo

Prefeitura inaugura nesta terça, o primeiro Centro de Atendimento à Educação Especial de Nova Friburgo

No último ano, a Escola de Ensino Especial Neusa Goulart Brizola sofreu com a possibilidade de fechamento da Unidade, o que muito preocupou aos professores, pais de alunos, e à comunidade de modo geral. Sensibilizado com a situação, o prefeito Sérgio Xavier aceitou prontamente a proposta da Secretaria de Estado de Educação (SEEDUC) de municipalizar a Escola, o que ocorreu oficialmente em 02 de janeiro deste ano.


Feito isto, ainda havia mais um desafio a ser enfrentado pela equipe do Neusa Brizola: retornar ao antigo prédio, localizado nos fundos da Universidade Federal Fluminense (UFF), que havia sido interditado pela Defesa Civil após as chuvas de 2011.
Agora, com o prédio recuperado, na terça-feira, 3 de abril, o prefeito Sérgio Xavier e o secretário municipal de Educação, Ricardo Lengruber, promovem uma solenidade de inauguração simbólica do trabalho realizado na Escola Estadual Municipalizada de Educação Especial Neusa Goulart Brizola.


A diretora da unidade, Fátima Cristina Santos Pereira, esclarece que o espaço da escola funcionará, na verdade, como o primeiro Centro de Atendimento à Educação Especializada de Nova Friburgo. Em parceria com o Serviço de Estudo e Atendimento Psicopedagógico (SEAPp), e a equipe do Programa de Educação Especial, a escola atenderá alunos portadores de deficiência intelectual, visual, auditiva e física, em contraturno à escolarização, ou seja, estes alunos deverão estar inseridos também na rede municipal ou estadual de ensino.

A Escola funcionará nos dois turnos (manhã/tarde), oferecendo oficinas de artesanato, leitura, teatro, música e psicomotricidade, com duração de uma hora e meia cada e supervisão de um profissional especializado. Além disso, a escola ainda oferecerá serviços de fonoaudiologia e odontologia, em parceria com a Universidade Federal Fluminense (UFF), e cursos de libra, em parceria com o Sesi, braile e soroban. Todos os cursos são abertos a alunos e responsáveis, e também aos profissionais da rede municipal e estadual de ensino.

O trabalho deste Centro de Atendimento à Educação Especializada visa o desenvolvimento progressivo destes jovens e adultos portadores de necessidades especiais, em paralelo à inclusão dele na sociedade, o que acontece na escola. O Governo Federal, através do Programa de Educação Inclusiva Direito Adversidade, promove a formação continuada de gestores e educadores das redes municipais e estaduais de ensino, para que sejam capazes de atender com qualidade e incluir nas classes no ensino regular, os alunos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação
Pacheco também é cultura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.