The Evil Dead - A Morte do Demônio

Perfumes e músicas marcam momentos de nossas vidas, e basta sentirmos um leve cheiro ou escutarmos um trecho musical para evocar uma série de recordações. Mas não podemos nos esquecer dos filmes. Tanto quanto outros elementos, definem sobremaneira nossa passagem no tempo. E o que dizer dos filmes de Terror?
Lembro-me que éramos ainda pequenos adolescentes com espinhas na testa quando assistíamos filmes de toda espécie reunidos na casa uns dos outros, até porque minha cidade estava sem cinema na época. E um dos filmes que mais marcaram minha vida e que me mete medo até hoje é justamente Evil Dead, ou, A Morte do Demônio.
Na película, cinco jovens vão passar um fim de semana (isso virou referência para diversos filmes, como a série Pânico, Eu sei o que vocês fizeram no Verão passado, dentre outros) em uma cabana isolada na floresta e acabam encontrando sob o piso de madeira o Necronomicon Ex Mortis, o Livro dos Mortos , encadernado em pele humana e escrito em sangue. Logo após encontram um gravador com um cassete gravado com a tradução de algumas passagens do livro, que ao ser reproduzido , invoca espíritos que começam a possuir os jovens um por um, até que o protagonista e único sobrevivente Ash (Bruce Campbell) acaba com eles.
O filme tornou-se um clássico pela trilha sonora, pelas cenas violentas – vide a cena da árvore possuída estuprando a garota – pela boa maquiagem e efeitos, e o ar sombrio que o diretor Sam Raimi – sim, ele mesmo, de Homem Aranha – conseguiu impor na época, em que não havia tantos recursos como hoje. Em alguns países, o filme chegou a ser até proibido, o que não impediu que o filme circulasse pelo mercado negro.
Evil Dead é celebre também por marcar a estréia de Bruce Campbell (escalado pelo próprio Sam Raimi, recém-saído da faculdade, de onde, aliás, os dois se conheciam), que protagonizou os três filmes da série (os dois seguintes se tornaram uma espécie de ”terrir”). Para quem não conhece o cara, ele está presente como ponta nos três filmes do Homem Aranha: no primeiro filme, ele é o cara que dá o nome do Homem-Aranha (que seria Aranha Humana); no segundo, ele foi o porteiro do teatro; e no terceiro, um garçom que tenta ajudá-lo a fazer o pedido de casamento para a Mary Jane.
Segundo informações do site da revista Variety de julho deste ano, o filme terá um remake, com produção de Sam Raimi, Rob Tapert e Bruce Campbell. O roteiro está sendo feito por Diablo Cody, de Juno, que garante que o trabalho será altamente violento.
Enfim, o filme é um clássico para quem gosta de terror, uma leitura obrigatória. Foi e é influência para muitos cineastas e escritores de terror. Além disso, foi por causa dele que caminhei por anos na escuridão cantando para espantar o medo...

Quer saber mais?

The Evil Dead - A Morte do Demônio (EUA)
Diretor: Sam Raimi
Elenco: Bruce Campbell, Ellen Sandweiss, Hal Delrich, Betsy Baker, Sarah York, Philip A. Gillis, Dorothy Tapert, Cheryl Guttridge, Barbara Carey, David Horton, Wendall Thomas, Don Long, Stu Smith, Kurt Rauf, Ted Raimi, Ivan Raimi, Bill Vincent, Mary Beth Tapert, Scott Spiegel, John Cameron, Joanne Kruse, Gwen Cochanski, Debie Jarczewski, Sam Raimi, Robert G. Tapert.
Produção: Bruce Campbell
Roteiro: Sam Raimi
Fotografia: Tim Philo
Trilha Sonora: Joseph LoDuca
Duração: 85 min, colorido
Ano: 1982

Fonte:  http://www.airmandade.net/

Pacheco também é cultura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.