Grande manifestação em Nova Friburgo dia 15 de outubro.

Em Nova Friburgo, grupos virtuais organizam grande Manifestação no dia 15.

Nas últimas 5 semanas têm ocorrido reuniões, sempre às quartas-feiras, na Biblioteca Municipal de Nova Friburgo, cujo objetivo é articular os movimentos da cidade que surgiram no pós-tragédia, unindo forças para mudar a situação pela qual passa o município, em todos os sentidos.

Após a última reunião, ficou decidida uma grande manifestação em Nova Friburgo, no dia 15 de outubro, juntamente com a World Revolution 15.o (organizada pelo movimento 15-M da Espanha), e também por ser a semana em que cidade completa 9 meses da tragédia. O evento está previsto para começar a partir das 14h30, na Praça Dermeval Barbosa Moreira.



"Um cérebro criativo é capaz de transfigurar lindamente a vida, a natureza e a humanidade". (Charles Chaplin)


Chegou a hora de nos unirmos para demonstrarmos que a vontade popular é soberana. Em Nova Friburgo e demais cidades da região serrana do Rio de Janeiro a degradação é evidente: corrupção no uso das verbas destinadas à reconstrução pós-catástrofe, instabilidade política, ineficiência e descaso do poder público, encostas prestes a desabarem nas próximas chuvas, fábricas e lojas fechando, falta de transparência e desinformação. Em outubro completam-se nove meses do maior desastre ambiental da história brasileira, deixando um rastro de destruição e desalento ainda não cicatrizados. O que irá nascer dessa gestação? A resposta depende do que seremos capazes de realizar juntos.
Demandamos democracia real, melhor qualidade de vida, uso inteligente dos recursos naturais, investimentos em transporte coletivo de qualidade, ciclovias, saúde, educação e, principalmente, a provisão de habitações em áreas seguras. A reconstrução da cidade precisa ser feita sob novas bases, sem repetir os erros do passado, para que possamos criar uma sociedade economicamente mais justa e ambientalmente sustentável.
Acreditamos na possibilidade de realizarmos essas mudanças, mas para isso precisamos nos unir e exercitarmos a cidadania. Junte-se a nós no dia 15 de outubro! Vamos ocupar a praça Demerval Barbosa Moreira com música, teatro, danças e vídeos educativos. Tragam instrumentos musicais, fantasias e, principalmente, vontade de construir uma Nova Friburgo melhor.

"O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que me preocupa é o silêncio dos bons." (Martin Luther King Jr.)

Também publicado nos blogs:

A Rua É Nossa



Transparência Nova Friburgo

Movimento Absurdo

Revista Pacheco


Pacheco também é cultura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.