Chevrolet Viva


Nós já sabemos a um bom tempo que a Chevrolet está preparando um hatch mais alto, para combater o Volkwagen Fox. Esse carro será o Chevrolet Viva, pelo menos o nome de seu projeto é Viva. Esse futuro modelo chegará ao nosso mercado no meio de 2009, em versões hatch e sedã. Ele será produzido em São Caetano do Sul e também na Argentina.

Essas imagens que estamos lhe mostrando são da primeira projeção de como o modelo será, feitas pela revista Auto Esporte, que o NA tem autorização por escrito para mostrar aqui, diferente de outros blogs automotivos. A revista explica que o Chevrolet Viva será mais ou menos o Renault Sandero da Chevrolet, uma solução local, barata e bem inferior aos modelos europeus. Fazer o quê.
Assim com a Renault não traz para os brasileiros as versões recentes do Clio, que rodam na Europa, a Chevrolet também não trará o Corsa europeu para nós, pois isso “ficaria caro demais”. Caro demais?? As margens de lucro das montadoras no Brasil não são umas das maiores do planeta?? Então porque ficaria caro demais trazer um carro decente para nós?? Bom, sem comentários. Vamos falar mais do Viva.

O Chevrolet Viva será um hatch compacto com espaço interno de hatch médio, assim como o Renault Sandero. Pelo menos nisso o mercado brasileiro está melhorando, com carros que privilegiam o espaço interno, dando um pouco mais de conforto para seus ocupantes. A plataforma do Chevrolet Viva será a do Corsa atual, só que ampliada. Ele terá 4 metros de comprimento e 1,70 de largura.

Ele vai enfrentar o Renault Sandero, o Volkswagen Fox, e pelo menos terá o mesmo tamanho do Fiat Punto. Pessoas de dentro da Chevrolet dizem que o Corsa não irá sair de linha com a chegada do Viva. Assim como na Fiat existem o Uno, Palio e Punto, juntos ao mesmo tempo. Os motores do Viva seriam 1.4 e 1.8, pois o 1.0 ficarão somente reservados para Celta e Corsa. A versão de entrada ficaria no mesmo preço do Fox 1.6, cerca de 36.000 reais.

A Chevrolet até mesmo já registrou o nome Ventana, que poderia muito bem ser o nome de uma pickup do Viva. Será??
Fonte: Revista Auto Esporte

Pacheco também é cultura!

"A gente foge da solidão quando tem medo dos próprios pensamentos." - Érico Veríssimo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

http://www.tertuliaonline.com.br/
http://www.revistapacheco.com/p/contato_507.html

Destaques

A primeira vez em que eu quase morri

Uma experiência de quase morte não é algo muito fácil de esquecer, sobretudo quando se tem 16 anos. Nessa época, eu era um rapaz latino-americano, franzino e com algumas espinhas na testa. É verdade, era mais do que eu desejava, se é que alguém deseja ter espinhas. Eu era o típico adolescente: cheio de sonhos, impulsivo e medroso. Mais medroso que impulsivo, aliás.

Sobre o apego e as lembranças que escapam lentamente

O primeiro bem que meu pai me deixou, meio sem querer, foi seu aparelho de telefone celular. Não é um smartphone, não acessa a internet. A câmera fotográfica integrada tem parcos megapixels. As pessoas riem do aparelho quando são apresentadas a ele, sem saber que ali dentro, naquela caixa preta, está guardada minha pequena herança particular.

"Uma Aventura Perigosa"

Max de Castro é um funcionário público insatisfeito com trabalho e com problemas no casamento. Após uma crise de estresse em pleno expediente, incentivado por um psicanalista em um programa de entrevistas, escreve uma carta confessional, que deve ser escondida e destruída em 24 horas, mas a mesma desaparece, antes que ele pudesse fazê-lo. Começa então o inferno de Max, angustiado pela possibilidade de seus maiores segredos serem descobertos, ou por sua esposa, ou por sua cunhada, a jovem Sophia, por quem se sente fortemente atraído.

Cinema: Frances Ha

Em Frances Ha (2012), Frances (Greta Gerwig) é uma jovem nova-iorquina de 27 anos que não corresponde às expectativas idealistas de uma sociedade que exige do indivíduo o sucesso em questões profissionais e afetivas nessa fase. Ao contrário, como muitos jovens nessa idade, Frances ainda não faz ideia do que, para ela, é ser bem sucedida. O artista francês Eugène Delacroix escreveu em 'Diário' que para se chegar a segurança e maturidade do espírito é necessário passar pela sutil delicadeza da nossa sensibilidade juvenil.
As imagens postadas neste site foram retiradas da internet ou enviadas por colaboradores. Se é proprietário de alguma imagem e se sentiu ofendido, por favor, entre em contato conosco e ela será rapidamente tirada do ar.